sexta-feira, 31 de maio de 2013

Justiça reintegra terras invadidas no Caipe Velho

Polícia cumpre reintegração de posse em São Cristóvão
Segundo a PM, os lotes estavam sendo comercializados a R$ 800
As famílias tiveram que sair das casas pacificamente (Fotos: Portal Infonet)
A Polícia Militar de Sergipe e o pelotão de Choque realizaram nesta terça-feira, 28, a reintegração de posse em uma área situada no conjunto Caipe Velho no município de São Cristóvão.
Cerca de 100 famílias tiveram que ser retiradas do local em cumprimento a um mandado de reintegração expedido pela justiça de São Cristóvão em favor do proprietário do terreno. Aproximadamente 80 habitações, dentre barracos e três em alvenaria tiveram que ser demolidos e as famílias retiradas dos barracos.
De acordo com o relações públicas da Polícia Militar, o major Paulo César Paiva, a área foi loteada de forma irregular para a venda. “Pelo que a gente pode constatar foi feito um loteamento, as pessoas estavam ilegalmente vendendo lotes a R$ 800,  mil reais.  Muitas pessoas estão aqui de boa fé, pois adquiriram o terreno julgando que estava tudo certo, quando na verdade houve agora essa determinação judicial de reintegração de posse feita pela comarca de São Cristovão. As pessoas não sabiam que estavam adquirindo um imóvel ilegal, alguém infelizmente vendeu esse lote ilegalmente e as pessoas que aqui estão foram vítimas desse golpe”, esclarece Paiva.
Famílias
Barracos foram montados no local
Uma das pessoas que adquiriu um pedaço de lote foi o aposentado Manuel dos Santos. “Eu comprei o lote por R$ 800 reais. Tem uns três meses que eu venho construindo uma casa e já gastei mais de R$ 4 mil. Fiz um recibo e dei para a pessoa a que me vendeu assinar. Eu não sabia que o local tinha dono. Se eu soubesse que não era regularizado não tinha comprado”, diz.
Além das pessoas que foram vítimas do golpe, o local servia de moradias para muitas famílias que ocuparam o local e montaram os barracos por não terem para onde morar, como é o caso de Marcelo Menezes. “Vou ter que sair daqui. Moro com a minha esposa e não tenho para onde ir. Me deram esse pedaço de terra para que eu montasse um lugar para morar, mas agora vão nos tirar daqui”, lamenta o trabalhador.
A desocupação das moradias foi feita de forma ordeira e as famílias não tiveram outra alternativa a não ser sair das casas pacificamente.
Proprietário
Manuel dos Santos diz que adquiriu um lote por R$ 800 reais
Muitas pessoas residiam nas casas
Policiais foram cumprir a reintegração de posse
Willians Seixas diz que teve prejuizo
A equipe do Portal Infonet conversou com Williams Seixas Santana que se diz proprietário do terreno. Segundo ele, as famílias agiram de má-fé.
“Eles invadiram porque infelizmente as nossas leis são brandas. Fiquei sabendo que há uns dois meses estão vendendo lotes aqui. Essa propriedade é minha e de minha família que temos aqui desde os anos 80. Tenho escritura, tudo legalizado, as taxas do INCRA. Eu contabilizo um prejuízo de R$ 100 mil. Cortaram as mangueiras só para depredar”, garante Williams.
A reintegração foi cumprida pelo coronel Campos do 1º Batalhão de Polícia, pelo major Aragão do Grupo de Gerenciamento de Crise da PM e pelo Batalhão de Choque coordenado pelo capitão Augusto César.
Por Aisla Vasconcelos

Fonte:Infonet.com.br

Um comentário:

Jose dos Santos disse...

A era petista...enquanto uns trabalham, outros saqueiam...