quarta-feira, 19 de junho de 2013

A Praça São Francisco precisa voltar a ser humanizada

A Praça

"A praça é do povo!
como o céu é do condor".

É o antro onde a liberdade
cria águias em seu calor.
Senhor,pois quereis a praça?
Desgraçada a população!
Só tem a rua de seu...
Ninguém vós rouba os castelos,
Tende palácios tão belos...
Deixai a terra ao Anteu.
Mas embalde...que o direito
Não é pasto de punhal
Nem a patas de cavalo
Se faz um crime legal...
Ah! não há muitos setembros!
Da plebe doem-se os membros
No chicote do poder,
E o momento é malfadado
Quando o povo ensanguentado
Diz: já não posso sofrer.

Castro Alves
(1847-1871)


"A praça Castro Alves é do povo,como o seu é do avião", muito conhecida de quem curte a boa musica popular brasileira,musica essa de Caetano Veloso,que se inspirou no poema de Castro Alves,para demostrar que a praça é do povo,e que só tem vida e serventia quando é ultilizada pelo povo.
A nossa Praça São Francisco,que hoje ostenta o titulo de patrimônio da humanidade,e isso tem sido motivo de orgulho por parte de sergipanos e brasileiros,hoje sofre um pouco com a falta de orgulho dos seus nativos,mais por que assim?Qual motivo para que moradores não tenha esse sentimento?
Estava fazendo uma analise e observei alguns pontos que devem ter colaborado para que esse sentimento não aflore?
A praça são francisco tem poucas residencias na sua composição,isso observo que acontece hoje,diferente de outras praças de interiores sergipanos,mais em outros tempos isso já foi diferente,famílias moravam na praça,e no seu entorno,grande numero de crianças,tem poucas ou quase nenhuma.
Antes essa praça era palco dos maiores eventos da cidade,isso já foi dito por varias vezes,esse local foi o berço de nascimento de artistas e ventos culturais que marcaram época.
Hoje as inúmeras restrições tem tirado da praça o direto de ser o que foi um dia,espaço de acontecimento,uma praça humanizada,cheia de vida,que hoje só serve praticamente para a contemplação daqueles que visitam a cidade,uma praça que antes era utilizada por crianças para brincadeiras de época como roda de pião,bola de gude...e hoje com tantas restrições é mais um local da cidade conhecido por não poder ser utilizada,ou se utilizar cumprir inúmeras restrições que praticamente inviabilizam as realizações.
Os moradores precisam ser chamados para serem parceiros,conhecer sua historia,só passa a respeitar quem conhece,por isso é importante o trabalho daqueles que divulgam,seja por textos bem elaborados,ou simples imagens antigas que falam mais que mil palavras.
A praça são Francisco precisa ser humanizada,deixar de ser de pedra e cimento,mais como sempre foi,de eventos,historia,local para reunir não só os intelectuais,mais o povo da cidade,o povo de fora,voltar a ter um clima de festa e não um ar de restrições e proibições,assim como a praça Castro Alves em Salvador que em carnaval se transforma em ponto de encontro da multidão e referencia do povo baiano,mesmo tendo pouco espaço físico aquele local toca na alma baiana,o que sempre fez a praça são francisco e hoje vive afastada do seu povo,daqueles que fazem essa praça ter vida,mais que volte rápido a ser a alma do povo
sancristovense.

Fabio André

Nenhum comentário: