quarta-feira, 12 de junho de 2013

Padre Willians celebra sua última missa em S. Cristóvão

Padre Willians celebra sua última missa em S. Cristóvão
População prestou sua última homenagem ao pároco
(Foto: Jr Ramalho)
Olhares e ouvidos voltados para o altar da Igreja Nossa Senhora da Vitória. Lá estava o Pe. Willians Oliveira Lima, celebrando sua última missa para a população sancristovense. População esta que lotou de carinho os quatro cantos da igreja e prestou sua última homenagem ao pároco, na noite desta terça-feira, 12.
A missa foi pautada por palavras de fé, cantos e o principal: pelo perdão. Não teve quem não se emocionasse ao presenciar a serenidade do Pe. Willians, ao falar de sua saída. “Estou triste por saber que não temos como deixá-lo aqui em São Cristóvão. O tempo que Pe. Willians permaneceu nos ajudou muito. Esteve presente em todas as ocasiões e foi nosso porta-voz perante a todos”, diz Maria José Santana.
O Pe. Willians ficou à frente da Igreja Nossa Senhora da Vitória durante um ano e três meses. De lá pra cá, batalhou pelo desenvolvimento dos sancristovenses e atraiu inúmeros fiéis. “Aprendi aqui em São Cristóvão que não posso falar nada sem que eu tenha certeza. Só lembrarei das coisas boas e tenham certeza: não estou triste, apesar de querer continuar aqui”, ressaltou o padre.
A prefeita Rivanda Batalha também esteve presente na missa e demonstrou sentir muito pela saída inesperada do pároco. “Tenho que agradecer ao padre pelo esforço imensurável realizado na cidade. Desde que estou à frente da prefeitura pude observar o trabalho que vinha realizando para com os munícipes e suas necessidades. Ser humano equilibrado, sereno e acima de tudo honesto. Estou realmente triste, mas sei que seu caminho será de muita luz”, afirma Rivanda.
Os fiéis que lotaram a igreja surpreenderam o Pe. Willians. Inúmeras fotos com imagens registrando o pároco em missas, procissões, batizados e visitações às comunidades foram passadas num telão. Músicas que falavam de amor e amizade também foram entoadas com força e bastante pesar pelos presentes. O pároco recebeu flores e foi abraçado pela cidade.
Fonte: Ascom PMSC

Um comentário:

Henrique Braga disse...

Nisso tudo o que nos choca é ver a dureza do nosso bispo em suas atitudes. Punir aqueles que eles, “o Bispo e o auxiliar” deveriam defender ante provas ou que são acusados sem provas.
A dureza dos corações daqueles que em nome de Deus, e conhecedores da palavra, deveriam perdoar e apaziguar seu rebanho. Ao contrário do que diz a palavra. Punem com toda dureza do coração, chegaram ao extremo de tirarem tudo que era viável para que o Pe. Willams pudesse desenvolver um trabalho de evangelização tão bom quanto foi aqui, mesmo desagradando a uma dúzia de pessoas.
Tiraram tudo que foi possível tirar de um homem, seja ele um sacerdote ou não, os deixaram sem parte de sua ferramenta de trabalha: o carro, a casa, pois aquilo não é uma casa digna onde uma pessoas possa viver com o mínimo de conforto, tiraram a dignidade de um homem e feriram os sentimento de uma pessoa que como todos nós temos família: pai, mãe, irmão etc.
Eu pergunto porque o bispo não permitiu que o Pe. Willams levasse por empréstimo o carro da paróquia? Será que há tanta necessidade desse carro aqui? Porque não deram chance de Pe. Willams se defender?
Deixo aqui claro que não defendo o Homem Willams, mas um sacerdote. Procuro entender, se é que pode entender tanta dureza do coração do nosso bispo e seu auxiliar.
Diante de tudo isso, parece que os nosso bispo está tentando forçar o Pe. Willams deixar o sacerdócio.
Não será possível o nosso bispo ser mais maleável e não ser tão duro? Não é a primeiros vês que vemos um sacerdote punido sem provas e com tanta dureza.
Como eu peço tanto a Deus. Senhor fazei meu coração semelhante ao vosso. Hoje procuro entender que igreja é essa, onde já não veja tanto sentimento de partilha, solidariedade, união e irmandade entre nossos pastores.