segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Violencia em Sergipe

Escolas estaduais da Grande Aracaju são alvo de vândalos e assaltantes

Na tentativa de chamar a atenção para o problema, na manhã desta segunda-feira (05), alunos do colégio estadual Arício Fortes, localizado no bairro América, foram para as ruas protestar
Compartilhamento:
  • botao comentar
  • botao email
  • botao imprimir
  • botao email
  • botao email
IMG-20130805-WA0007.jpg
Na escola Júlia Teles adolescentes atearam fogo na sala de arquivo Foto: Osmar Souza
As escolas estaduais estão sendo alvo de atos de vandalismo e assaltos na Grande Aracaju. Na tentativa de chamar a atenção para o problema, na manhã desta segunda-feira (05), alunos do colégio estadual Arício Fortes, localizado no bairro América, foram para as ruas protestar.

De acordo com o representante do grêmio estudantil, Jorielton, na semana passada a unidade de ensino foi arrombada três vezes consecutivas. “Computadores já nem temos mais na escola e a última foi levarem a merenda escolar, eles serram as grades e entram aqui”, destacou. No colégio estudam pelo menos 800 alunos nos três turnos.

Outro colégio alvo de vandalismo foi a escola estadual Júlia Teles, localizada no conjunto Jardim, em Nossa Senhora do Socorro. Na madrugada desse domingo (04), quatro adolescentes atearam fogo na sala de arquivo da unidade.

De acordo com a Secretaria de Educação, quatro adolescentes encapuzados renderam o vigilante do colégio, que não pode usar armamento, e o mesmo saiu correndo para a delegacia mais próxima pedir reforço policial. Quando a polícia chegou ao local o grupo já havia destruído parte da merenda escolar e ateado fogo nos arquivos do colégio. As chamas chegaram a atingir uma sala de aula vizinha.

Nota da SEED

Preocupado com os constantes furtos nas unidades escolares, o secretário de Estado da Educação, Belivaldo Chagas, solicitou à cúpula da Secretaria de Segurança Pública um reforço da ronda policial nas imediações das escolas mais sensíveis a esse problema. O encontro ocorrido em abril passado, contou com a presença do secretário João Eloy, do secretário adjunto João Batista, do comandante da Polícia Militar, coronel Iunes e da superintendente da Polícia Civil.

A Seed reconhece um déficit no número de vigilantes e com a redução da carga horária desta categoria, que passou de 40 horas semanais para 30 horas semanais, esse déficit aumentou. Por conta disso o governo já está analisando a possibilidade de fazer a contratação desses profissionais através de concurso público, terceirização ou processo seletivo.

A SSP está se esforçando para inibir os furtos contra as escolas da rede estadual e na mesma madrugada de domingo apreendeu dois menores que participaram do furto da Júlia Teles.

Fonte:Atalaiaagora.com.br

2 comentários:

Anônimo disse...

E os alunos vão sair prejudicad?, os arquivos foi queimado será qui há jeito?

Zonarayblog disse...

E os alunos vão sair prejudicad?, os arquivos foi queimado será qui há jeito?