sábado, 2 de novembro de 2013

Em Busca do Tesouro Perdido

Mesmo não alcançando os tão sonhados índices das novelas globais, qualquer cidadão aracajuano ou sancristovense que esteja em pleno gozo das faculdades mentais, é capaz de cocluir que se trata de uma novela se fim, quando o assunto em questão é a zona de expansão.

A grande curiosidade reside no fato de que, mudando a linha de pensamento "em prol do povo", o grupo político que outrora festejou a entrega da zona de expansão a Aracaju, hoje, de volta ao poder, quer fazer um grande carnaval em comemoração à retomada.

Ora, isso deixa claro que a esse grupo político nunca deve-se dar o direito de optar "ou pelo mel, ou pela cabaça". Resta sedimentado, pelo menos em tese, que de cabaças eles não gostam.

Desta feita, e crendo-se que seja apenas delírio essa utopia da gestora, materializada na retomada da zona de expansão, faz-se mister lembrar a ela que em São Cristóvão existem várias zonas de expansão, tais como: Parque Santa Rita; Aldeia; Loteamento Lauro Rocha; Caípe Velho e Caípe Novo; Pedreiras e Tinharé e etc.

A vantagem que se afere nas zonas de expansão locais se dá pelo fato de que por elas não faz-se necessário brigar; já pertencem a São Cristóvão. O único problema, talvez, é que as zonas paroquianas são carentes de tudo, ao passo em que a zona disputada tem muito a oferecer.

Assim, deve restar claro que mel, nas zonas de expansão local, não vai ser encontrato, mas quem sabe um indústria de cabaças não resolva!

Nenhum comentário: