quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Criança é largada em rodovia por pais em São Cristovão

Criança é largada em rodovia por pais em São Cristovão
Conselho Tutelar encaminhará bebê para a Casa da Criança
Criança é amparada por conselheiro tutelar (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)
A desavença entre ex-companheiros pela falta de pagamento de pensão alimentícia culminou com a denúncia que envolve abandono de incapaz. A mãe, uma adolescente de 17 anos, acabou colocando a filha, um bebê de apenas seis meses de idade, às margens da rodovia João Bebe Água, na tentativa de obrigar o pai, o pedreiro Antonio José Gomes, de 51 anos, a pagar a pensão alimentícia.
A Polícia Militar recebeu denúncia de que a criança estava às margens da rodovia, o que caracteriza abandono de incapaz, e acabou encaminhando os pais da criança e a avó para a Delegacia de Polícia de São Cristovão. “Recebemos uma denúncia de que a mãe tinha jogada a criança às margens da rodovia e quando chegamos ao local, a criança já estava amparada pela irmã, por parte de pai”, conta o sargento Cláudio Cardoso, do Batalhão de Choque da Polícia Militar que fez os primeiros atendimentos à ocorrência.
Antonio admite que não paga pensão
Na Delegacia de Polícia, a adolescente revelou que em nenhum momento abandonou a criança na beira da estrada e observou que decidiu procurar o pedreiro, na casa dele numa localidade conhecida como Baubá, em São Cristovão, para pedir comida para a filha. “Eu não abandonei minha filha. Botei ela no chão porque ele mandou”, declarou.

A adolescente revelou que decidiu procurar o pedreiro porque a criança estava com fome e não tinha leite em casa para preparar a mamadeira. “Na hora de falar as coisas erradas, todo mundo fala. Mas ninguém deu leite para eu dar comida a minha filha que estava com fome”, desabafou a adolescente.

A dona de casa Maria Telma Ferreira Gomes, avó da criança e mãe da adolescente, revelou que a filha e o pedreiro Antonio José Gomes, 51, tiveram uma convivência que durou três anos. No início do relacionamento, a adolescente estava com 14 anos e o pedreiro com 48 anos. Desta relação, a adolescente teve dois filhos: um garoto, que está com dois anos de idade, e mais recentemente, a menina pivô desta história, que virou caso de polícia. “Eles se separaram porque ele arranjou outra mulher e vive judiando minha filha”, conta a avó do bebê.

Briga pela guarda
Maria do  Carmo quer guarda da neta
O pedreiro Antonio José Gomes, 51, admite que nunca pagou a pensão alimentícia referente ao segundo filho, justamente o bebê de apenas seis meses de idade. “Eu dava a ela R$ 150 que era para o outro filho nosso [de dois anos de idade], mas quando ela [a menina que hoje está com seis meses de idade] nasceu eu fui dar R$ 200 e ela não quis”, relata. “Ela queria R$ 400 e plano de saúde e eu não tenho condição de dar. O caso tá na justiça e eu não vou dar nada a ela, sem ela assinar nenhum documento”, defende-se o pedreiro, que também é apontado por abandonado de incapaz.

O Conselho Tutelar já adotou as primeiras providências, retirando o bebê da delegacia de polícia e encaminhando-a para a sede da entidade, na própria cidade de São Cristovão. “Vamos levar a criança para o Conselho Tutelar para adotar as providências cabíveis e depois vamos encaminhá-la para a Casa da Criança”, revelou o conselheiro Douglas Santana.
Adolescente chora quando vê filha partir com conselheiros tutelares
A avó e o pai do bebê querem disputar a guarda da criança. “Eu é que crio este [o garoto de dois anos] e também a menina e não vou dar a ninguém”, desabafou dona Maria do Carmo, em conversa com o Portal Infonet. Por outro lado, o pedreiro também revelou que não abrirá mão da guarda da criança. “Quero a guarda da menina com todos os documentos, como manda a lei”, disse o pedreiro.

A avó e os pais do bebê permanecem na Delegacia de Polícia, onde deverão ser ouvidos pelo delegado Luís Carlos Xavier, que dará prosseguimento às investigações da denúncia por abandono de incapaz.
Por Cássia Santana

Fonte:Infonet.com.br

Nenhum comentário: