terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Massacre do Povo de São Cristovão

São Cristóvão: moradores reclamam de taxa de iluminação
Moradores consideram como abusivo o valor do reajuste
Taxa de iluminação cresce em até 400% (Fotos: Portal Infonet)
Os moradores do município de São Cristovão não estão satisfeitos com a nova taxa de iluminação pública do município. Segundo eles, o reajuste chegou, em algumas casas, a mais de 400%. Nesta segunda-feira, 27, eles se reuniram na sede da Associação dos Moradores do Eduardo Gomes para discutir encaminhamentos que possam barrar o acréscimo.

Segundo o morador Orácio Oliveira, a finalidade da reunião é de pensar alternativas que interrompam o aumento, que os moradores consideram abusivo. “A decisão tomada pela prefeitura não levou em consideração a opinião dos moradores. Minha conta mesmo aumentou em 432%. Tem outras que subiram 480%, outras 300%”, afirma.

“Estamos preparando a população para colher as assinaturas e acionar a justiça por meio de uma ação coletiva para impedir este aumento abusivo”, destaca Orácio.
Orácio Oliveira
De acordo com o vereador do município, Paulo Júnior (PSL), este aumento foi enviado à Câmara de Vereadores em fevereiro de 2013. “Este projeto de aumento foi enviada a câmara junto com uma proposta de redução dos salários dos professores e só passou a valer este ano. Foram 10 votos a favor e 4 contrários”, revela.

Ele, que é líder da oposição na câmara, discorda do aumento e aborda que a justificativa usada pela prefeitura é que o aumento ajudará o município a pagar um débito com a Energisa, além de contribuir para a manutenção do sistema de iluminação de São Cristovão.
Prefeitura

O assessor de comunicação da prefeitura, Eton Coelho, explica que a cobrança já existia, mas havia sido retirada no fim do mandato passado. “A prefeitura está fazendo o que não podia fazer em 2013 e agora está sendo feito em 2014. O ex-prefeito renunciou a cobrança”, alega.

Ele ainda afirma que a prefeitura arrecadava aproximadamente R$300 mil e com a mudança do ex-prefeito, a prefeitura passou a arrecadar somente R$80 mil, que segundo ele, não é suficiente para que a prefeitura possa arcar com a manutenção do sistema elétrico. “Ademais, o ex-prefeito deixou uma dívida com a Energisa de R$ 2 milhões, acarretando no afastamento da Energisa nas atividades de manutenção da rede elétrica. A prefeita Rivanda Batalha negociou com a Energisa e está tentando limpar esta dívida”, argumenta.
Por Geilson Gomes e Verlane Estácio

Fonte:Infonet.com.br

Nenhum comentário: