sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

ARTIGO
Qual é o papel da imprensa?  Por Messias Gonçalves
O tema saúde pública é pauta de muitos anos, na mídia nacional. Não é problema isolado de um estado chamado Sergipe. É no país inteiro. Tanto o é que mesmo tardiamente, o governo da presidenta Dilma Rosseff, criou o programa “mais médicos”, que desde os anos de 2004, venho defendendo que uma das soluções seria trazer médicos que se formaram em universidades da America do Sul, Central e Caribe.
Por coincidência, aqui em Sergipe o senador Eduardo Amorim, de cara foi contrário, justamente para ficar ao lado dos seus colegas de jalecos. Esses mesmos médicos que preferem praticar o comércio na Rua de Bahia e adjacências, esses mesmos médicos que se inscrevem em concursos e depois não querem trabalhar nas cidades do interior, alegando falta de estrutura, mas querem ser contratados para apenas dar plantões. Neste caso, estrutura é o que menos importa.
Quando a sua assessoria política percebeu o desgaste, mudou aos poucos o discurso. Assim como ocorreu quando boicotaram a aprovação do PROINVESTE, retardando as obras estruturantes para o estado em quase um ano.
Agora vem a questão da saúde propriamente dita. O senador não cansa de tentar desmoralizar o governador Jackson Barreto nas entrevistas concedidas. Justamente ele, que já foi secretário da saúde no governo de João Alves e que, segundo o deputado Mendonça Prado foi exonerado por incompetência. Sem falar nos processos que responde.
Diante de tudo isso, o porquê dessa mesma imprensa, cujo papel primordial, garantido na própria constituição brasileira é assegura a livre expressão e o livre exercício da profissão, nunca indaga esse cidadão, que segundo comentários, não fez o dever de casa. É lamentável ver quase que todos os dias, a mesma ladainha e não ser questionado. Por que será? Ele e Oe seu grupo a menos de seis meses para as eleições, nem projeto tem. Deveria está apresentando as suas propostas. Não venham dizer que será feito no horário político.
Enquanto o governador Jackson Barreto não cana de ir ao encontro da população sergipana, praticamente todos os dias, levando através das inaugurações as obras e ao tempo que assina centenas de ordens de serviços para a realização de mais obras e benefícios, eles estão plantando inverdades como se a população não fosse testemunha dessas realizações.
Setores da imprensa precisam deixar de certos comportamentos e procurar exercer a sua profissão com dignidade e respeito, pois estará prestando um excelente serviço ao povo. Não permitam serem usados, quando pregam mentiras com as vossas permissões. Isso é feio. E em nada contribui, pois amanhã vocês mesmos serão os primeiros a ridicularizarem eles. E isso acaba fazendo vocês perderem credibilidade e audiência, como já ocorrendo com um que se achava dono de todas as audiências. E com isso se explica dizer que tem tanta audiência e não transformar em voto ao menos.

Fonte:Blog do Claudio Nunes
 

Nenhum comentário: