quarta-feira, 19 de março de 2014

Filme rodado em Sergipe entra em cartaz nesta quinta

Filme rodado em Sergipe entra em cartaz nesta quinta
Este é o terceiro filme do cineasta gravado em Sergipe
Filme foi quase todo gravado em Sergipe (Fotos: Divulgação)
“Nem um Nordeste arcaico e nem um Nordeste azul piscina”. Foi com esta frase que o cineasta Hermano Penna definiu as características de seus filmes. E com essa informação o público sergipano tem uma ideia do que esperar da sua mais nova película: Aos ventos que Virão. O filme foi quase todo gravado em Sergipe e estará em cartaz a partir de quinta-feira, 20, nas seções do CineCult - Cinemark.

Segundo Hermano Penna, a ideia do filme partiu de uma conversa com um amigo de Poço Redondo que o apresentou a história de Zé de Julião, um ex-cangaceiro que saiu do interior de Sergipe e foi trabalhar em Brasília. “Alcino Alves me contou a história e fiquei fascinado. O enredo é baseado na vida de Zé de Julião, porém, não é uma biografia, pois acrescentei outros elementos”, disse.

“A história começa com a morte de Lampião e termina na inauguração de Brasília. Muitas imagens foram gravadas em Poço Redondo e Canindé. Além disso, muitos atores sergipanos também participam do elenco do filme”, acrescenta.
Hermano Penna fala da sua mais nova obra
Este é o terceiro filme do cineasta gravado em Sergipe. “Já gravei aqui o filme Sargento Getúlio e o documentário Mulheres do Cangaço. O tema do sertão e do Nordeste que me move a produzir. Não sei explicar direito o fascínio por Sergipe, mas o Nordeste sempre me atraiu. Sempre retratei o nordeste em meus filmes”, fala Hermano, que é cearense.

“Queria agradecer ao povo que abriu suas casas no interior, mais precisamente em Sítio Novos e Curralinho. São povos extremamente generosos. Queria também agradecer ao ex-governador Marcelo Déda pelo apoio dado ao filme”, finaliza.
Por Geilson Gomes e Raquel Almeida

Fonte:Infonet.com.br

Nenhum comentário: