quinta-feira, 10 de abril de 2014

Quase um ano e meio,e nada

Já se passaram quase um ano e cinco meses,e até agora,nada!
A população esta cada vez mais decpcionada com o poder publico na cidade,muitos criaram uma enorme expectativa com a nova administração,depois de sair de uma administração que não existiu,logo se esperava uma reação da nova administração que tem como lider um politico experiente,coisa que não aconteceu até agora,e ao que parece permanecerá assim!
Só lembrando que os tempos são outros,a informação chega em fração de segundo,quem antes não se mobilizava hoje se junta,vai a luta!
Na verdade,até quem não votou nessa administração esperava mais,claro diante de seu líder que sempre planejava seus passos,mais a impressão que esta passando é que seu poder de reação não esta surtindo efeito,como dizem,os tempos são outros.

2 comentários:

jean carlos disse...

Infelizmente não é atoa que existe a frase: "O POVO TEM O POLÍTICO QUE MERECE"! Ficou para tráz aquele orgulho que se tinha-mos em falar, "EU MORO EM SÃO CRISTÓVÃO"! vai melhorar como? Um administrador sai pq não cumpriu com seu dever, é confirmado culpado, condenado pela justíça e o povo vota nele como salvador da Pátria! Ainda somos ignorantes!!!

JOSÉ FILHO disse...

Sinceramente, até a presente data, não tenho visto nada tão funesto, como quer fazer crer parte da opinião participativa deste blog, pela qual tenho muito respeito. Até agora ainda não li fatos concretos de improbidade relativos à atual gestão: o que vejo é sempre uma oposição derrotada, magoada, a opinar num discurso fácil buscando as brechas para insidiosamente entrar nos lares dos menos favorecidos, fazendo crer que as agruras vividas por eles é culpa da atual gestão municipal, o que não é verdade, pois tratam-se de coisas mais amplas, que deveriam ser tratadas, parte a parte, nas três esferas governamentais. Não adianta oportunistas, que temos a mil, se apresentar como "filhos da terra", salvadores do município; nós precisamos de gestores administrativos fiscalizados por gestores administrativos e não por filhos de "filhos da terra", pois no final tudo dará no mesmo, o poder ficará nas mãos de alguns e nós sabemos quem são esses "alguns".