quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Messias Gonçalves, Blog do Claudio Nunes

DO LEITOR
Chegaram às eleições e com ela as promessas IRRESPONSÁVEIS
Do leitor Messias Gonçalves: “Dizem que o político é o retrato do eleitor. Se ele mente ou corrompe é porque tem os eleitores que gostam das mentiras e do dinheiro ou qualquer outro instrumento para ser corrompido.  Vejamos. Aécio Neves, num total desespero com a repentina ascensão de Marina, passou a prometer “reajustar” as aposentadorias. Quando FHC era o presidente, do seu partido, chegou a chamar esses mesmos aposentados de VAGABUNDO. Alguém pode até dizer que é a mesma coisa, mais é. O esvaziamento do estado, a valorização do capital em detrimento ao homem, entre outra diretrizes fazem parte dos pensamentos praticados pelo Neoliberalismo, defendido pelos tucanos. Na atual situação da previdência, ninguém poderia fazer isso por fazer, pois o impacto nas contas seria significativamente. Já aqui em Sergipe o candidato das oposições, entrou nesta mesma linha, adotando a mesma tática. Só que aqui as promessas são na área da saúde, especificamente na questão do HUSE. Diz  o candidato que se for eleito, reunirá todos da área da saúde e em cem dias, solucionará todos os problemas do maior pronto socorro do estado. E olha que o homem é médico e já foi secretário de estado da saúde. Jamais poderia ele, prometer uma barbaridade deste tamanho, já que nenhum pronto socorro tem prazo de validade quanto os seus problemas. Sempre existirão, justamente pelas complexidades dos casos demandados. A mesma coisa é vir dizer que vai resolver de uma vez por todas as questões salariais. Não irá e ele sabe muito bem que não faria se leito fosse.  O atual governo vem enfrentando dificuldades até para implantar o novo plano de cargos e salários, justamente por se encontrar no chamado limite prudencial. Portanto, todos já estão avisados e se insistirem com esse tema, será mais uma demonstração da irresponsabilidade e da falta de respeito para com os eleitores e neste caso especificamente para com os servidores públicos. Só para refrescar vamos citar um caso verídico ocorrido em 2002 quando disputavam o governo, João Alves e José Eduardo Dutra. Albano era o governador e vinha pagando abaixo do salário mínimo. Pois bem, João prometeu que assim que assumisse, imediatamente reajustaria os valores. Por outro lado, Zé Eduardo disse que esperaria chegar ao governo, para ver a situação e não prometeu o milagre de João Alves.  João vence as eleições, assume em janeiro de 2003, não cumpre as promessas, os servidores continuam recendo abaixo do salário mínimo, sendo complementado com adicionais e pasmem os senhores. Somente no ano seguinte, no mês de janeiro, os deputados em recesso, enviou os projetos de reajuste. Só que para serem e apreciados e votados e entrando em vigor somente a partir do mês de junho e julho de 2014, dois anos depois.  E mesmo assim, sem nenhum reajuste dado pelo governo. Ou seja, congelou o que já ganhavam, retirando dos próprios salários dos servidores. Ou seja, o que já existia  nos contra cheques, só mudou de lugar. O problema é que quando disputam  esses cargos com os atuais titulares também concorre, é sempre assim. Uns defendem a continuidade das suas ações, dentro de uma realidade. Já os seus opositores não medem as promessas, mesmo sabedores que são, já que hoje todas as informações estão disponíveis nas redes sociais. Portanto, mentem porque querem.  E isso cabe aos eleitores, saber distinguir o grau de responsabilidade de cada um, pois se antes de assumirem já praticam o desrespeito, imagine o que não seriam capazes de fazer depois de eleitos.”

Nenhum comentário: