sexta-feira, 20 de maio de 2016

Nélio Miguel Junior

Nelio Miguel Jr pré-candidato a vereador de São Cristóvão



1. Você vem de família tradicional na politica?
Não. Eu não tenho nenhum parente diretamente ligado a politica, a pessoa mais próxima a qual tento me inspirar é o pai de meu ex. padrasto, que considero como avô, mas na verdade não é meu parente de sangue e sim de coração e foi vereador no município de são Cristóvão, mas também não quis seguir carreira politica até por que ele acredita que politica não deveria ser carreira e sim um exercício de cidadania.
2. Qual o seu objetivo na politica?
Na realidade antes eu não gostava muito de política, eu odiava, porém com tempo passei a amar e fui do extremo de 08 para 80, me apaixonei pela política, pela facilidade em poder ajudar as pessoas, é muito satisfatório ver quer foi feito algo e com seus projetos e ações pode ajudar outras pessoas.
3. Qual a maior dificuldade que você enquanto jovem envolvido na política enfrenta?
A maior dificuldade que temos hoje de inserção na política não só do jovem, mas de qualquer outra pessoa, diz respeito ao sistema político do município, que é regido por famílias tradicionais e caciques políticos, que mandam e não aceitam dividir espaços com pessoas mais novas, pessoas que possuem visões diferentes e que divergem da forma de fazer politica atual.
4. Sabemos que nosso município se encontra em uma defasagem econômica muito grande; diante disso o que você, enquanto vereador pretende fazer para melhorar o quadro político econômico que perdura na cidade?
É preciso incentivar e dar oportunidades para que os empresários possam investir na cidade, para que isso aconteça é necessário obras de saneamento básico, formar profissionais qualificados e educar a população para o mercado de trabalho, sem que isso aconteça nenhum empresário vai querer investir em uma cidade sem saneamento, sem água, sem pessoas capacitadas, é necessário que se tenha os requisitos mínimos para que haja um investimento no município, fazendo assim a economia crescer e aumentar o poder econômico dentro da cidade.
5. Se fosse necessário cortar gastos para pode estabilizar a economia, de onde seriam cortados estes gastos?
Seria realmente necessário cortar gastos, pois a cidade está passando por uma grave crise econômica, a prefeitura já deve mais de 60 milhões, então é necessário sim que façamos cortes, o que não podemos deixar é que os cortes afetem a população, por isso eles devem ser feitos dos cargos de confiança e secretarias, reduzindo o numero de secretários, cortamos gastos da nossa própria carne sem afetar a população.
6. Qual a sua visão em relação às politicas assistencialistas?
As políticas assistencialistas são de fato importantes, contudo estão sendo praticada de forma incorreta e pelas pessoas erradas, as políticas de assistencialismo tem de ser praticadas pela secretaria se assistência social, porém está sendo feita por vereadores ou diretamente por prefeitos; o assistencialismo é de fundamental importância para a população, porém deve ser feita pela secretaria de assistência social, o papel do vereador é legislar e fiscalizar o executivo e o papel do executivo é executar obras do nosso município assim cada um faz a sua parte, entretanto o que vemos hoje é a inversão de valores, a assistência social não funciona, e os vereadores ficam distribuindo ambulâncias e remédios, tentando fazer assistencialismo barato e não cumprindo seu papel enquanto legislador do nosso município.
7. Como você se vê enquanto político?
Vejo-me como um cidadão de família, que considera essencial a participação do povo na política, para que assim possamos fazer diferente, a politica só irá mudar quando nós cidadãos fizermos parte dela.
8. Qual a sua principal influência na política, em quem você se espelha e compartilha das ideias para fazer politica?
Bom como já havia dito, eu me espelho muito no meu avô de coração, o pai de meu ex. padrasto que assumiu o cargo de vereador na cidade, uma pessoa que entro e saiu da política pobre e sem nenhum processo, uma pessoa que fez o fez por amor, uma pessoa íntegra e com capacidade para fazer o bem sem se desmoralizar, que mostrou que é possível sim, entrar na política e não se corromper pelo sistema, meu avô Ertes Rocha, entrou e saiu da câmara municipal limpo e com todos os méritos e isso é o que me motiva, quero fazer como ele, hoje ele desistiu de seguir a carreira política diretamente para dar seu apoio, para que assim possamos fazer o que ele fez na época em que foi vereador do nosso município.
9. O que você considera como o maior problema de são Cristóvão?
São Cristóvão tem muitos problemas, um dos maiores problemas que enfrentamos hoje é no diz respeito à educação. A educação não está sendo levada a sério, vimos recentemente ações a qual promoveram cortes de até 50 % no salario dos professores, há prédios em péssimas condições sem falar que ficamos com escola de pior IDEB do país entre os anos de 2012, 2013, não me lembro bem; sabemos que educação é a base para toda e qualquer sociedade assim é preciso investimento. Outro problema fortemente apresentado na nossa cidade é a corrupção, as últimas administrações nos últimos 20 anos todos os ex. prefeitos foram processados, segundo o juiz da comarca; é preciso renovar, o então ciclo politico está se fechando e um novo está se formando, um novo ciclo onde a juventude está envolvida e com mais acesso a comunicação.

Nenhum comentário: