sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Artistas de São Cristóvão, Muitos Ficam Pelo Caminho, Esperando a Ajuda do Poder Público

O que acontece com nossa arte??
Sempre ouvimos, e conhecemos artistas que moram, ou são naturais da nossa cidade.
Artistas que chegam a ser referência para artistas de outro lugar, mas se percebe que com o passar do tempo aquele indivíduo cheio de talento, não consegue se desenvolver, porque??
Nesta observação, constatamos que, os nossos artistas, ou sua grande maioria, ficam esperando a benevolência do poder público, que nem sempre está disposto a entender a mão, como foi essa última, que acabou com algumas das manifestações culturais da cidade, e os artistas, foram completamente esquecidos.
Infelismente sabemos que muitos dos nossos artistas, se encolhe diante das constantes dificuldades.
Os artistas que vem de fora, geralmente encontram o campo livre para trabalhar, e na sua maioria, consegue desenvolver seu trabalho, lembro do artesão que há muito tempo atrás desembarcou em São Cristóvão o Deda das carancas, que desenvolveu seu trabalho durante muitos anos na cidade, o artesanato de Deda, ficava no prédio conhecido como varandao na praça da matriz.
E na equipe de Deda das carancas tinha um jovem artista aprendiz na época chamado Zeus, que é natural de Macambira , e hoje é conhecido internacionalmente.
Também temos o exemplo dos dias atuais o Nivaldo Oliveira, artista baiano que se fixou em São Cristóvão, e hoje é reconhecido nacionalmente pelos trabalhos de resgate da xilogravura.
Mas também temos o exemplo do natural da cidade Júlio Andrade da banda The Baggios, que não ficou esperando reconhecimento por parte do poder público, botou o pé na estrada e saiu em busca dos sonhos.
Muitos são os talentos, com alta excelência, mas tem que sair da zona de conforto, ou fica enterrado com as mãos estendidas esperando a complacência de políticos que não estão nem aí para a situação da nossa cultura e arte.

Nenhum comentário: