segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

CARNAVAL DO DESRESPEITO EM SÃO CRISTÓVÃO

As boas intenções da prefeitura, dos organizadores de blocos não podem ser negadas, de forma alguma, o desejo é trazer de volta o sentimento de berço cultural sergipano, e essa intenção é inegável, só que a nossa realidade hoje é outra, depois da destruição de oito anos consecutivos, não podia ser diferente.
O que se vê hoje não é o carnaval dos carnavais de Zezinho da Everest, hoje é o carnaval dos paredões, da esculhambação, do desrespeito, de menores de idade em ambientes inadequados, isso culpa da atual gestão?? Não, claro que não, as causas tem uma dimensão maior, mas culpa das administrações passadas?? Sim, não fizeram nada pelo emprego, pelo lazer, pela cultura, hoje manifestamos o lixo cultural de Sergipe, com grande parte da população composta por alienados, que vivem escravizados pelos enlatados de péssima qualidade da Bahia.
A praça da matriz estes dias estava a visão do caos, de uma sociedade fracassada, que perdeu as referências de comportamento, que agoniza sem esperança de melhora a curto prazo, jovens sem ocupação, e os com alguma ocupação, com características deformada de cidadão.
O barulho das musicas imorais não só incomoda, os ouvidos mas a alma, a delegacia ou centro integrado de polícias, que ao que parece a perturbação do sossego não vale nessa época, nem a resolução do contran que manda punir o som automotivo que ultrapassa o veículo, mas nessa época tudo vale, infelizmente.


Nenhum comentário: